ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL POPULAR DE GUIMARÃES

por Arlindo Costa

Presidente da Associação de Futebol Popular de Guimarães

Nascida em 1988, a AFPG (Associação de Futebol Popular de Guimarães) já vai no seu 28º ano de actividade no denominado “futebol das freguesias”. Antes de ser criada, já existiam diversos torneios de futebol, organizados pelos Clubes que convidavam as equipas das freguesias vizinhas, os jogos eram sempre disputados no campo do Clube Organizador que se responsabilizava por toda a logística das partidas e organização, sobretudo por não existir uma entidade reguladora.

Foi então que surgiu um grupo de pessoas de bem, com gosto pelo desporto, que idealizou a criação de um organismo onde quem estivesse disposto a aderir, assumisse as suas responsabilidades e assim substituir os torneios para um campeonato mais elaborado. A 11 de Dezembro 1988, João Salgado, na altura presidente do Panteras de Matamá, meteu mãos à obra, visitou os principais Clubes de então e convidou-os para uma reunião na sede do Matamá onde compareceram oito Clubes: Matamá, Juni, Gémeos, Pinheiro, Unidos do Cano, Tabuadelo, “OS Mesmos” e Polvoreira.

Nessa reunião foi decidido que cada Clube nomeasse três delegados com poderes para eleger a primeira direção, e apresentaram os seguintes elementos:

Matamá – João Salgado, José Ribeiro, José Miranda;

Juni – António Castro, Lino Oliveira e Rodrigo Sampaio;

Gémeos – João Ribeiro, Joaquim Félix e Eugénio Pascoal;

Pinheiro – Domingos Bragança (atual presidente da CM), António Salgado e Miguel Faria;

Unidos do Cano – José Lobo, Manuel Freitas e Eduardo Lobo;

Tabuadelo – José Manuel Pereira, José Vaz Araújo e José Costa;

Polvoreira – Bento Peixoto, António Lopes e João Pires Leite;
Numa reunião muito discutida de 16 de Dezembro de 1988, foi escolhida a denominação do organismo que até hoje tutela o futebol popular vimaranense, Associação de Futebol Popular de Guimarães, e a seguir foi eleita a primeira direção que ficou assim constituída:
Presidente – José Manuel da Silva Pereira
Vice-presidente – António Salgado Martins
Secretário – Júlio Oliveira Barroso
Secretário relator- Miguel Faria
A 21 de Fevereiro de 1992 foram entregues no 1º Cartório Notarial de Guimarães os documentos necessários á sua legalização, procedeu-se à respectiva escritura, que viria a ser publicada na III série do Diário da República a 9 de Maio de 1992, ficando, a partir daí, com o estatuto de parceiro social com voz ativa.
A AFP de Espinho, pioneiros do futebol popular organizado e por isso atentos ao sucedido, com especial incidência, ao que a este desporto diz respeito, tendo conhecimento da legalização da Associação Vimaranense, não perdeu tempo e em 4 de Maio de 1992, com a conivência da Câmara Municipal, convidou uma representação da AFPG para um colóquio subordinado ao tema “Maio, Mês do Coração”, e mais tarde, Espinho, Guimarães e Amarante, criaram o embrião do qual resultaria no aparecimento da FFPN. No início chegou mesmo a haver jogos entre as seleções dos dois Concelhos. A selecção vimaranense deslocava-se a Espinho no dia 25 de abril, data do feriado municipal no Concelho, e os espinhenses retribuíam, deslocando-se à Guimarães a 24 de junho, feriado municipal vimaranense, dia das comemorações da Batalha de São Mamede.
O primeiro campeonato organizado pela AFPG teve início no segundo fim de semana de fevereiro de 1989, contando com a participação de oito equipas: Matamá, Juni, Gémeos, Pinheiro, Unidos do Cano, Os Mesmos, Tabuadelo e Polvoreira.

O primeiro campeonato foi ganho pelo Polvoreira que venceu também a Supertaça, e a 1ª Taça Cidade Berço foi parar à vitrina do Panteras de Matamá.
O 3º campeonato foi disputado por 15 equipas, e o 3º por 16, este em duas Séries:
Série A: Madre Deus, Café Âncora, Estrelas Vermelhas, Infias, Amorosa, Pinheiro, Polvoreira e Santo Estêvão de Briteiros.

Série B: Os Mesmos, Os Heróis Portugueses, Abação, Matamá, Gémeos, Tabuadelo, Unidos do Cano e Juni.
Na época 92-93, já com 18 equipas, os campeonatos adquiriram o figurino que perdura até hoje, isto é, começou a ser disputado em duas secções. A 1ª Divisão com 10 equipas: Juni, Polvoreira, Amigos Urgeses, Tabuadelo, Pinheiro, Infias, Unidos do Cano, Calvos, Abação e São Paio de Vizela. A 2ª Divisão com 8 equipas: Ases Santa Eufémia, Os Heróis Portugueses, Os Mesmos, Pinheiro B, Infantas, Tagilde, Gémeos e Longos.

O campeão da 1ª Divisão foi a Juni que juntou a Supertaça, e a Taça Cidade Berço foi ganha pelos Amigos Urgeses. O campeão da 2ª Divisão foi os Ases Santa Eufémia.

Nesta temporada (92-93), também teve inicio o campeonato de Juniores, com 5 equipas: Pinheiro, Infias, Tabuadelo, Os Mesmos e Polvoreira, que foi conquistado pela formação pinheirense.

Hoje em dia a AFPG conta com 18 equipas na sua 1ª Divisão dividida em duas séries de 9. São cerca de 700 atletas e dirigentes que disputam todos os sábados os jogos do Futebol Popular de Guimarães, e da Federação de Futebol Popular do Norte, nomeadamente da Taça dos Campeões e da Taça da Federação, uma espécie de Liga dos Campeões e Liga Europa do futebol popular dos vários Concelhos do norte do país.

Desde então aos dias de hoje, sem nenhuma interrupção, a AFPG tem sido um pilar do desporto no Concelho de Guimarães, e do futebol popular em geral, bem evidente nas conquistas interconcelhias dos seus filiados.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?