ATLETAS COM SÍNDROME DE DOWN COMPETEM POR TÍTULO MUNDIAL EM GUIMARÃES

O pavilhão da EB23 de Caldas das Taipas é, até segunda-feira, palco do Campeonato do Mundo de Basquetebol 3×3 e de Judo para atletas com Síndrome de Down.

©  Mafalda Oliveira/ Mais Guimarães

A competição conta com participação de uma centena de atletas em representação de países como Croácia, Kuwait, Roménia, Itália, Polónia, Rússia, Turquia, Suécia e Portugal. De Guimarães, a maior representação encontra-se no Judo. Nesta modalidade, dos 21 atletas que compõem seleção nacional, 14 são da CERCIGUI.

Para José Costa Pereira, presidente da ANDDI-PORTUGAL (Associação Nacional de Desporto para Desenvolvimento Intelectual), que organiza o evento, a competição arrancou da melhor maneira possível: Portugal venceu a Turquia em Basquetebol, por 19-8, deixando a seleção nacional “bem encaminhada para uma eventual presença na final”. “Esperamos amanhã tentar chegar à final, que nunca ganhámos. A Itália sempre nos derrotou. Era giro sermos campeões do mundo em nossa casa”, afirmou. Já no Judo, José Costa Pereira está certo que Portugal irá “conseguir muitos pódios e algumas medalhas de ouro”.

O presidente da ANDDI destacou ainda que a escolha de Guimarães para o evento internacional teve que ver com o facto de a cidade ser “o berço de Portugal” e também porque a ANDDI tem na cidade um associado muito forte, a CERCIGUI. “Há muito que desejávamos fazer um evento internacional em Guimarães”, admitiu.

A periodicidade das competições para atletas com Trissomia 21 é, segundo José Costa Pereira, exatamente igual ao ciclo Olímpico e Paralímpico. “No próximo ano, vamos estar presentes nos Trisome Games, que são os jogos olímpicos das pessoas com Síndrome de Down, na Turquia, no final do próximo mês de março, onde esperamos participar em 8 das 10 modalidades. Só não vamos estar representados na ginástica e no ténis”, revelou.

A cerimónia de abertura do Campeonato do Mundo de Basquetebol 3×3 e de Judo para atletas com Síndrome de Down decorreu esta manhã, mas, ainda antes, decorreu uma “gigante” aula de judo inclusivo, “com crianças das escolas ditas regulares, participantes com vários tipos de deficiência e também os judocas dos 18 países presentes”, afirmou José Costa Pereira.

O atleta olímpico Nuno Delgado, patrono destes campeonatos do Mundo, marcou presença na abertura do evento e lançou o repto a todos os atletas. “Usufruam daquilo que o desporto tem de melhor: leva-nos ao nosso limite”, afirmou. “Tenho acompanhado há muitos anos o trabalho feito em Guimarães e é um coroar da atividade desenvolvida nos últimos anos. É um privilégio voltar a Guimarães, ainda por cima para um evento com cariz de inclusão e com as minhas duas modalidades do coração, não havia como falhar”, apontou.

Guimarães como referência no desporto inclusivo

Na cerimónia de abertura, o vereador do Desporto da Câmara de Guimarães, que apoia o evento, Ricardo Costa, salientou que “a prática de desporto é fundamental para a construção de uma sociedade” ao sublinhar que “quanto maior é o número de praticantes, mais competitiva se torna” e neste capítulo vincou que “ninguém pode ficar para trás”.

©  Mafalda Oliveira/ Mais Guimarães

José Costa Pereira, presidente do Comité Organizador transmitiu ainda, na cerimónia, mensagem do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. “O desporto inclusivo está vivo e Guimarães faz uma justa homenagem aos que vivem o desporto inclusivo, quer a quem o pratica como a quem está envolvido na sua organização”, referiu o ministro.

O diretor regional do norte do IPDJ, Vítor Dias, vincou a necessidade de “criar as mesmas oportunidades e os mesmos acessos à prática de desporto” para os jovens com Síndrome de Down. “É para nos um enorme privilégio estar cá, sobretudo apoiando a ANDDI na sua atividade diária, proporcionando aos jovens atletas, com diferentes tipos de necessidades, as mesmas oportunidades. Praticar desporto é  essencial para o seu bem estar físico e bem estar global enquanto cidadãos”, defendeu.

A competição foi declarada aberta por Neno e a sessão oficial da cerimónia de abertura contou ainda com as presenças de Paula Oliveira, vereadora da Ação Social da autarquia vimaranense, Geoff Smedley, Presidente da SUDS (Sport Union Down Syndrome) Vítor Figueiredo, do Comité Olímpico de Portugal, Luís Soares, presidente da Junta de Freguesia de Caldas das Taipas, Miguel Pinto Lisboa, presidente do Vitória SC e Rui Leite, presidente da CERCIGUI.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?