BADEN POWELL, FUNDADOR DO ESCUTISMO, FARIA HOJE 160 ANOS

Robert Stephnson Smith Baden Powell, nasceu em Londres, a 22 de Fevereiro de 1857 e foi o quinto dos sete filhos do casal Baden Powell. Seu pai, Reverendo H.G. Baden Powell era pastor da igreja anglicana, a sua mãe, Henriqueta Smith era filha do Almirante Wiliam Smith.

Logo na escola primária BP escreve a seguinte frase “Quando for grande farei com que os pobres sejam tão ricos como nós, eles devem, como nós, ter o direito à felicidade”.

Mais tarde ingressa na escola de Chaterhouse (1870), em Londres, era um aluno médio, mas com grande propensão para o desenho, teatro, desporto (futebol) e ciências naturais. Ste, como era conhecido, adorava passar horas a fio na pequena mata de Chaterhouse a observar e conviver com os animais e com as plantas.

Terminado o colégio BP tinha que escolher uma carreira. Com 19 anos sonhava com novas aventuras e viagens, quis por isso ser missionário, mas a sua mãe foi claramente contra e conseguiu convencê-lo a não o fazer. Robert escolheu então a carreira militar.

No exame de admissão para o exército, entre 700 candidatos, foi classificado em 2º lugar para cavalaria e em 4º lugar para infantaria. Devido a esta brilhante classificação ficou isento de treino militar.

Em 11 de Setembro de 1876, Baden Powell foi nomeado Sub-Tenente (Alferes) do regimento Hussards nº 13 que cumpria uma missão na Índia. Em 6 de Setembro do mesmo ano já estava em Bombaim. O seu desempenho neste regimento foi bastante bom e em 1883, com apenas 26 anos foi promovido a capitão.

Em 1886 partiu para a Rússia com o seu irmão, oficial da polícia escocesa, para serviço de espionagem militar, onde viveu inúmeras aventuras, tendo inclusivamente experimentado o cativeiro, do qual conseguiu escapar.
Em 1887, os Zulos revoltam-se e BP, nesse momento na África do Sul, foi escolhido para acompanhar o Major McKean numa missão com o objetivo de socorrer os ingleses e esmagar a revolta dos Zulos. Nessa sangrenta batalha com os Zulos, BP jamais esqueceria o INGONYAMA (o célebre coro dos zulos em marcha) e para sempre ficou marcado por aquele enorme massacre, onde a nobreza e a coragem dos zulos foi impotente contra o poder bélico britânico.
Os feitos e as aventuras militares de BP não pararam, o seu sucesso com  as ferozes tribos dos guerreiros Achantis e com os selvagens Matabeles não deixou ninguém indiferente. Os indígenas tinham-lhe tanto medo que lhe chamaram IMPISA – o lobo que não dorme, por causa da sua audácia, da sua habilidade de explorador e da sua perícia em seguir pistas. As promoções de BP, eram tão frequentes que em 1899, aos 32 anos era já coronel.

 

Fonte: Escotismo

Foto: DR

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?