Bruno Fernandes: “Provavelmente não estamos a fazer bem o trabalho de casa”

O vereador social-democrata manifestou, na reunião de Câmara desta segunda-feira, dia 19, dúvidas relativamente aos investimentos em mobilidade em Guimarães que possam ser incluídos do PRR (Plano de Recuperação e Resiliência).

Bruno Fernandes lembrou que “há dias, o primeiro-ministro falou de um projeto estruturante que vai ser realizado no concelho de Braga, o BRT (Bus Rapid Transit), e não ouvimos fazer uma referência ao concelho de Guimarães. E isso preocupa-nos. Já foi a discussão pública (do PRR), já foi apresentado, e não vemos nenhuma novidade para Guimarães”, disse o agora também candidato da Coligação JpG à Câmara Municipal.

Para Bruno Fernandes “vamos assistindo à apresentação por parte do Governo do Plano e há afirmações do primeiro-ministro e membros do Governo, e não vemos nessas referências o concelho de Guimarães. O BRT foi um projeto, em várias vezes referido como um projeto conjunto, e quando o Governo anuncia o anuncia, diz que ele é apenas para o concelho de Braga. O que fica claro é que provavelmente não estamos a fazer bem o trabalho de casa”, disse o vereador da oposição.

“O autarca do concelho de Braga foi mais diligente e mais respeitado pelo Governo do partido socialista do que a Câmara Municipal Guimarães”.

Bruno Fernandes

Para o líder da oposição, “este é um momento decisivo para o país, naturalmente, e para o concelho de Guimarães em particular”, e a Câmara Municipal tem de garantir a inclusão nos grandes planos, “e que têm dotação financeira capaz de, depois desta problemática da pandemia, e desta crise que estamos a viver, também ela representar uma oportunidade para investimentos que há muito os municípios necessitam, e o nosso em particular”.

“Na comparação que estamos a fazer relativamente a todo o país, Guimarães lidera neste trabalho”.

Domingos Bragança

Na resposta a Bruno Fernandes, o presidente da Câmara Municipal afirmou que Guimarães, comparativamente com o resto do país, “está à frente neste trabalho de captação de fundos. Era exemplar já no passado e agora continua. Eu lidero este processo com o Governo, com a Universidade do Minho, para a captação destes fundos, quer no PRR, quer para o PT 2030”. Disse Domingos Bragança.

Quanto aos projetos incluídos no PRR, o edil lembrou que Guimarães tem dois: a Via do Avepark e o centro de computação (supercomputador Deucalion) a instalar no parque tenológico.

Referiu também que o município está a trabalhar nas questões da mobilidade, no BRT, autocarro rápido sobre via dedicada para o concelho de Guimarães, “mas também na ligação, por eixo ferroviário, à futura estação de alta velocidade”.

Há ainda, segundo o autarca, um estudo entregue “para uma abordagem preliminar” ao professor Alvaro Costa, que tratou do trabalho de concessão do transporte público de passageiros, e também com a Universidade do Minho e com o concelho de Braga.

“Um Trabalho de longo curso que queremos possa ser incluído no Plano de Recuperação e Resiliência e no novo conjunto de fundos PT 2030, o novo quadro comunitário de apoio. Estamos a trabalhar intensamente nisto tudo”, disse Domingos Bragança.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?