Centro Social de S. Torcato com 32 infetados

Há 32 pessoas infetadas com Covid-19 no Centro Social de S. Torcato. A informação está a ser veiculada pela RTP1.
De acordo com a RTP, duas das pessoas infectadas estão internadas no Hospital da Senhora da Oliveira.

Paulo Novais o juiz da Irmandade de São Torcato, afirma que o primeiro caso foi detetado na sexta-feira, na sequência de um teste de despistagem, feito a um utente que apresentava sintomas. O juiz da irmandade acrescenta a Autoridade de Saúde Pública foi notificada de imediato.

Depois de ter sido confirmado o primeiro caso de covid-9 no Centro Social de S. Torcato, “imediatamente foram feitos testes de despistagem a todos os utentes e funcionários que ainda entram nas instalações”, assegurou Paulo Novais. Estes teste vieram a detetar 32 casos positivos, entre os quais nove funcionários. Entre os casos registados, dois estão internados no Hospital Senhora da Oliveira.

Desde março, que os funcionários do lar que não precisam de ter contacto direto com os utentes não entram nas instalações, explicou o responsável. “Perante um contexto de surto estamos a tomar todas as diligências necessárias, de acordo com as orientações da Autoridade de Saúde Pública, em articulação e estrita colaboração com a Segurança Social, a Proteção Civil e a Câmara Municipal de Guimarães.

Alberto Martins, o presidente da Junta de Freguesia de São Torcato, teve conhecimento do primeiro infetado no sábado. “Tive conhecimento no sábado, pelo juiz da Irmandade que me vai mantendo ao corrente desta situação. Um utente terá ido ao Hospital por outra condição de saúde e nessa altura fez um teste que acusou positivo”, explica Alberto Martins.

Alberto Martins assegura que o director do Centro de Saúde de São Torcato, António Vinhas, lhe disse que o surto estaria relativamente confinado ao lar. Porém, o presidente da Junta de Freguesia reconhece que a maioria dos nove funcionários infetados são residentes na vila e ali têm as suas relações familiares e sociais.

Alberto Martins exorta a população a manter a tranquilidade e afirma que a Junta de Freguesia tem, neste caso, “uma abrangência muito limitada”. Hoje mesmo, antes de se saber desta notícia, a Junta de Freguesia estava a proceder a desinfeção das ruas, numa medida preventiva, relacionada com o inicio do ano letivo. “Já preparamos a nossa resposta, se nos for solicitada, nomeadamente com um grupo de voluntários de prontidão”, garante Alberto Martins.

Ainda na sexta-feira passada, dia 10 de setembro, o diretor clínico do ACES do Alto do Ave dizia ao JN que, em Guimarães não havia surtos em lares, porém tinha deixado, anteriormente, a nota que havia lares que inspiravam cuidados.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?