Cidade Europeia do Desporto dez anos depois: Recordar passado, dar resposta no presente e projetar o futuro

Foi pelas mãos de Nelson Felgueiras, vereador do desporto, ao lado de Amadeu Portilha, vereador do desporto em 2013, que foi apresentado o programa de comemoração dos 10 anos da Cidade Europeia do Desporto (CED).

© Cláudia Crespo / Mais Guimarães

“Dez anos passam muito rápido”, começou por dizer Nelson Felgueiras depois de passar o filme resumo do que foi 2013 em Guimarães. “Foi a primeira vez que Portugal recebeu uma CED e, na altura, foi considerada a melhor”, lembrou.

Depois de destacar o facto de Guimarães ser “uma cidade conhecida por ser referência nesta área”, que justificou com as infraestruturas, a relação com os clubes e com a capacidade de influenciar o território, o vereador do desporto anunciou que a comemoração dos dez anos da CED vem “recordar e valorizar o passado, dar resposta no presente e projetar o futuro”.

O programa arranca já em fevereiro, com um podcast intitulado “Memória no Futuro – A História do Desporto em Guimarães”. Serão entrevistadas “figuras decisivas em Guimarães não só da área do desporto”.

A 17 de março, será apresentado o estudo “Hábitos Desportivos em Guimarães”, um instrumento que Nelson Felgueiras considera “poderoso para o futuro”. Este irá fornecer informações concretas sobre o estado do concelho e permite, assim, a projeção de políticas centradas nas preferências da comunidade. “Portugal está na cauda da Europa e saberemos, em março, onde está Guimarães”, referiu o vereador.

© Cláudia Crespo / Mais Guimarães

No mês da liberdade, o município propõe-se a juntar a atividade física e esse mesmo tema. “Liberdade para Descolar” promete juntar certa 5.000 crianças. Esta iniciativa é composta pela realização de vários desafios motores, na perspetiva do incentivo à prática de atividade física regular, e tem uma forte componente didática e pedagógica. O “Descolar” é ainda uma atividade que promove a igualdade de género.

Em maio, decorrerá a primeira reunião do Observatório do Desporto, um “espaço onde diversos agentes desportivos podem trocar experiências e pensar o desporto de forma coletiva”.

Tornar “Guimarães Ativa” é a proposta para o sexto mês do ano, com iniciativas que pretendem “convocar a cidade” e “pôr a cidade a mexer”. Terá, neste sentido, três momentos distintos. Num primeiro momento pretende-se levar a prática de atividade física às praças da cidade, e, num segundo momento, o foco serão as crianças. O programa termina, este mês, com as “Caminhadas ativas”, com duas caminhadas que, partindo de sítios diferentes da ecovia, convergem ambas para o Multiusos de Guimarães.

Mostrando, uma vez mais, que “Guimarães é uma referência”, o Município propôs-se a realizar um congresso internacional sobre sustentabilidade no desporto. Integrada na Meia Maratona Cidade Berço e com um objetivo solidário, a “Caminhada CED” irá acontecer a 10 de setembro.

O teatro Jordão irá também fazer parte das comemorações ao receber as jornadas “Vida Feliz”, de 12 a 14 de outubro. O objetivo será, explicou Nelson Felgueira, “refletir de que forma podemos melhorar a resposta específica que é dada”. Uma oportunidade de reunião, partilha de experiências e boas práticas, mas também onde serão realizados workshops temáticos.

O livro “A História do Desporto em Guimarães” verá uma nova edição que será atualizada e apresentada a 17 de novembro. Terá novamente coordenação científica de Fernando Castro e Isabel Maria Fernandes.

O programa encerra, em dezembro, com a apresentação da estratégia municipal da promoção da atividade física, projetando o que se quer para Guimarães em 2030. Para desenhar esta estratégia, o Município vai “chamar e ouvir a comunidade – clubes, dirigentes, a academia, o cidadão comum”.

©2023 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?