Escola de Engenharia da UMinho celebra 45 anos

A Escola de Engenharia da Universidade do Minho (EEUM) celebrou, na terça-feira, dia 6, o seu 45.º aniversário. Na cerimónia para assinalar a data, realizada no auditório nobre do campus de Azurém, marcaram presença o secretário de Estado do Planeamento, José Gomes Mendes, o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, o reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro e o presidente de EEUM, Pedro Arezes.

José Gomes Mendes foi aluno de Engenharia Civil na UMinho. Foto: Rui Dias

Pedro Arezes referiu-se à data como um “importante dia para a Escola de Engenharia”. O presidente da Escola de Engenharia dedicou parte do seu discurso a falar sobre o período especial que atravessamos e à forma como a academia teve de se adaptar. “Todos concordamos que teve de ser, mas não é a mesma coisa”, afirmou Pedro Arezes, sobre a necessidade do ensino à distância, da “universidade sem alunos”.

“Foram meses de incerteza, de liberdade condicionada, mas também um período de crescimento”, reconheceu o presidente da Escola de Engenharia da academia minhota. “As dores foram apenas necessárias para nos focarmos no essencial”, acrescentou, enaltecendo a capacidade da Escola para incorporar a mudança.

Pedro Arezes deu nota de uma Escola com 45 anos, mas jovem. “O nosso futuro está ligado aos nossos 45 anos”, a Escola de Engenharia criou uma “base sólida que agora lhe permite arriscar”, afirma. No momento foi apresentada a nova assinatura de marca da Escola de Engenharia.

José Teixeira, presidente do concelho de administração da DST proferiu uma conferência em que se revelou na intimidade. Falou da forma como construiu a sua vida, desde uma infância muito pobre, em que partia pedra na pedreira da família. José Teixeira passou em revista a sua história de vida e da empresa que dirige, passando por momentos verdadeiramente emocionantes. O empresário aponta o momento em que entrou no curso de engenharia civil, na UMinho, como o grande evento transformador da sua vida.

A comunicação de José Teixeira chamou à atenção para a necessidade de engenheiros que gostem de ler, que apreciem as artes e o belo, que leiam história e filosofia. O homem forte da DST deu exemplos de programas nesse âmbito no seio da empresa que dirige.

O secretário de Estado do Planeamento prevê uma “hecatombe” para a economia portuguesa

O secretário de Estado, José Gomes Mendes, pegou no mote para lembrar que Costa Silva, o autor do Programa de Recuperação e Resiliência, é, além de economista, um poeta publicado. O secretário de Estado prevê uma “hecatombe” para a economia portuguesa, com uma redução do PIB de 9,8% e um desemprego a chegar aos 9,5%.

José Gomes Mendes referiu a importância de executar os fundos europeus melhor que nunca. Para aproveitar os 57,9 mil milhões a que terá acesso, entre 2021 e 2027, Portugal terá de executar 6,4 mil milhões por ano, mais do dobro dos melhores anos do passado.

A Escola de Engenharia da UMinho albergava, em 2019/20  6 067 estudantes. Na primeira fase do concurso de acesso, que está a decorrer, recebeu 930 alunos que preencheram 99,1% das vagas em aberto.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?