Guimarães mantém Centro de Acolhimento para pessoas sem-abrigo

Em funcionamento desde março de 2020, o Município de Guimarães mantém ativo o Centro de Acolhimento para pessoas sem-abrigo, ou sem retaguarda familiar, criado no âmbito da pandemia com o objetivo de dar uma resposta imediata através da Rede de Apoio Social de Emergência.

O Centro de Acolhimento funciona na EB1 Chã de Bouça, freguesia de Atães, atualmente com resposta a 11 cidadãos, permitindo alojar pessoas sem-abrigo, vítimas de violência doméstica, migrantes e cidadãos com necessidade de proteção internacional, com as devidas condições de conforto, alimentação e higiene.

Neste espaço são “fornecidas as quatro refeições principais, têxteis e produtos de higiene”, pode ler-se numa nota enviada às redações. Face à previsão de temperaturas muito baixas para os próximos dias, o Município de Guimarães apela à “sinalização de pessoas sem-abrigo no sentido de dar a melhor resposta, havendo a dificuldade da recusa de alguns sem-abrigo em serem integrados no Centro de Acolhimento”.

Tendo em vista a gestão e monitorização diária, com uma equipa em permanência, foi atribuído à Delegação de Guimarães da Cruz Vermelha Portuguesa um subsídio de 82 mil euros para formar uma equipa técnica e garantir os recursos necessários ao funcionamento do Centro de Acolhimento.

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?