HOSPITAL DE GUIMARÃES RECUSA ANULAÇÃO DE RENÚNCIA DE UROLOGISTA

O urologista Carlos Guimarães acusa a Administração do Hospital da Senhora da Oliveira (HSOG) de prejudicar os utentes por indeferir o seu pedido de anulação da renúncia contratual que tinha solicitado a 27 de novembro do ano passado.

Na sua página no Facebook, o urologista vimaranense afirma que pediu a renúncia do seu contrato de trabalho com o HSOG, em 27 de Novembro do ano passado. Porém, após conversa com colegas do Serviço e a propósito dos “vários constrangimentos na orgânica funcional” que provocaria a sua saída, aceitou rever a sua posição e, por esse motivo, pediu a anulação da renúncia.

Este pedido de anulação da renúncia terá sido indeferido pela administração no inicio do mês de janeiro, explica o médico vimaranense. “Ao que julgo saber, nenhum outro médico urologista foi contratado para me substituir e todas as consultas dos meus doentes foram desmarcadas”, lê-se na página de Facebook de Carlos Guimarães.”Na mesma data em que me foi comunicado o meu despedimento, informei o meu director de serviço da minha disponibilidade gratuita para manter a minha actividade até que outro colega me substituísse, mas ao que julgo saber, não foi aceite”, lamenta o médico urologista. Carlos Guimarães acrescenta ainda que em face desta atitude “manteria toda a minha actividade assistencial no HSOG”, e diz mesmo que promoveu “o agendamento de maior número de consultas para fazer face às dificuldades sentidas nessa área”.

Apesar de a primeira iniciativa de saída ter partido de si, Carlos Guimarães encara a posição da administração como um despedimento. “Teve oportunidade de me despedir, e despediu”, comenta a propósito da intransigência da administração do Hospital face à revisão da sua renúncia.

A administração do HSOG afirma que não há lugar “a nenhuma deliberação por parte do conselho de administração”. “Em 27 de novembro de 2017, o colaborador em causa comunicou a rescisão contratual, cumprindo o pré-aviso legal de 60 dias”, lê-se no comunicado emitido pelo HSOG, que prossegue lembrando que, o colaborador teria sete dias para revogar a denúncia contratual, a contar da recepção da mesma pela entidade empregadora. Segundo o Hospital a renúncia foi entregue a 3 de janeiro, ultrapassando “amplamente” o prazo, pelo que “a lei operou automaticamente”. O HSOG acrescenta que já foram encetadas diligências para contratar dois assistentes hospitalares da especialidade de Urologia.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?