JF ALMEIDA NEGA TER SIDO NOTIFICADA DE MULTAS POR DANOS AMBIENTAIS


A JF Almeida nega ter sido notificada de qualquer multa de cariz ambiental, ao contrário do que foi esta quarta-feira noticiado no Jornal de Notícias, que avança na sua edição, que a têxtil vimaranense recebeu três multas na passada segunda-feira, da parte do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR. A notícia refere que a coima aplicada à empresa têxtil vimaranense se deve a danos causados ao ambiente com a construção de um parque de estacionamento (para os funcionários) e depósito de resíduos de construção junto a um ribeiro, em frente às instalações da empresa, na freguesia de Conde.

Depois de ser contactada pelo Mais Guimarães para detalhar o sucedido, a Administração da JF Almeida emitiu um comunicado a refutar a notícia daquele órgão de comunicação. “A Têxteis JF ALMEIDA, SA nunca foi notificada de qualquer multa de cariz ambiental relativa a qualquer facto da notícia, alegadamente instauradas na segunda-feira (13/05/2019) pelo SEPNA da GNR. Com efeito, a nossa empresa estranha e regista que, a primeira preocupação da GNR seja notificar o JN – para que fosse produzida uma notícia sensacionalista – em vez de cumprir com o seu dever legal de notificar qualquer interessado”, lê-se no documento.

O comunicado, assinado pelo próprio presidente do Conselho de Administração da empresa vimaranense, Joaquim Ferreira de Almeida, aponta que a construção civil não consta nas atividades daquela empresa têxtil, referindo-se ao parque de estacionamento. “A segunda mentira é que, estando aparentemente em causa a construção de um parque de estacionamento em terra para os nossos trabalhadores, a Têxteis JF ALMEIDA não tem por atividade a construção civil. Na verdade, todas as obras são realizadas por empresas certificadas e de referência da região, que continuam a merecer a nossa total confiança na adjudicação dos trabalhos. Assim, nunca a Têxteis JF ALMEIDA, SA depositou qualquer resíduo junto a um ribeiro. A ser verdade a existência de um qualquer procedimento em segredo de justiça, a sua violação trará consequências para os prevaricadores, não querendo o Conselho de Administração associar este ataque vil, por meios jornalísticos, a uma retaliação à luta que a Têxteis JF Almeida SA recentemente iniciou e que lidera pela redução da tarifa da água, conforme foi notícia no JN da edição de 11 de abril de 2019”, lê-se.

Contactada pela nossa redação, a SEPNA da GNR confirmou que “foram levantados autos por infrações à empresa”, contra-ordenações essas inseridas no âmbito ambiental. Relativamente à notificação, essa poderá demorar alguns dias a chegar, mas, geralmente, quando uma entidade é fiscalizada “é-lhes dado conhecimento que se vai proceder à elaboração dos autos”.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?