João era feliz, não sabia, mas agora sabe!

Por Eliseu Sampaio.

Às 12 baladas o João subiu a cadeira, abriu uma garrafa de champanhe e comeu 12 passas. Tinha chegado 2021, mas para o João era só o ano 2000 mais um. João sabia que naquele dia novo, num ano novo também, tudo permaneceria igual.

Enquanto comia as passas, uma a uma, levemente, lembrava-se do desafio que foi o ano que findou. Do que nele viveu, do que nele sofreu, e do que nele aprendeu.

João era um tipo bem-disposto e saudável, e foi dos primeiros em Portugal a testar positivo para a covid-19. Foi parar ao hospital e o medo apoderou-se dele. Perdeu o palato, logo o João que não dispensava um bom petisco. Perdeu o olfato também, e quanto isso lhe custou, sobretudo o deixar de encontrar o cheiro do perfume da Sofia quando ela se aproximava. Sofia é a namorada do João, quem dele cuidou quando regressou a casa, muito mais magro, a precisar de fisioterapia para recuperar a agilidade, e alguma massa muscular. A família ligava-lhe para saber como estava, e alguns amigos também. João entendeu que, no fim de contas, há sempre quem esteja por perto, mesmo quando as barreiras físicas se levantam.

Com o verão os casos diminuíram e a vontade de reunir com os amigos aumentou, mas o João era o “amigo do Covid” e, entre mil e uma desculpas, os jantares adiaram-se indefinidamente.

Em setembro, Sofia ficou sem emprego. O restaurante onde trabalhava desde miúda, de sol a sol, fechou as portas, não dava mais. João e Sofia planeavam comprar uma casa nova e pensavam seriamente em terem um filho que projetavam há dois anos, esperando reunir as “condições ideais”.

João permanecia em cima da cadeira, comendo as passas uma a uma. Pensando na Sofia que estava ali ao lado e tinha perdido o avô nesta batalha sem se conseguir despedir dele, e o quando esse adeus lhe fazia falta.

João sentiu-se incomodado por sentir alguma felicidade naquela hora. Culpado por estar agradecido a 2020. Por saber que, apesar de tudo, este ano lhe permitiu perceber o que tem mesmo valor: A vida; a saúde; a família; o amor; os amigos; o trabalho, e os sonhos… Isso, os sonhos.

Pensando bem, talvez 2021 não venha a ser um ano assim tão igual para o João, depois de tudo o que aprendeu o ano que findou.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?