LUÍS CASTRO: “OS JOGADORES FIZERAM TUDO PARA CONQUISTAR UMA VITÓRIA”

O Vitória empatou esta noite, frente ao Nacional da Madeira, por 2-2, dificultando assim a luta pelo quinto lugar do campeonato.

No final do encontro, na habitual conferência de imprensa, Luís Castro sublinhou que o mau resultado não significa que a equipa às suas ordens tenha feito um mau jogo. “Pelo facto de termos perdido dois pontos na parte final do jogo, pode haver a tentação de se dizer que falhamos por completo o objetivo do jogo. Se formos por essa análise, não estamos a ser corretos. Ao longo do jogo, tivemos a baliza do Nacional como objetivo. Sempre que ganhámos bola, percorremos caminho à baliza do Nacional. Mas foi de forma inesperada que sofremos os dois golos já na parte final. Fizemos um jogo em que não se notou que estávamos com menos um, devido à entrega e dedicação. Às vezes como treinador tentamos procurar um culpado, mas tenho de enaltecer a equipa”, começou por dizer o técnico vitoriano.

O treinador mencionou ainda que o tempo em que a sua formação esteve reduzida a dez elementos, na sequência da expulsão de Wakaso, foi “complicado”. “No futebol temos de ser pragmáticos e olhar para a vida de uma forma racional. Era com uma vitória que queríamos ir para a próxima jornada. O compromisso dos jogadores de ganhar o jogo foi notório. Estar 65 minutos em campo sem um jogador foi complicado. Os jogadores fizeram tudo para conquistar uma vitória, e não conseguiram nos últimos minutos”, apontou.

Relativamente ao protesto dos White Angels e de outros adeptos vitorianos, que não compareceram na primeira parte do encontro, Luís Castro referiu que não tem de concordar ou discordar. “Não tenho de concordar ou deixar de concordar. Teremos sempre a consciência de que todos nós somos livres de tomar posições”, concluiu.

O Vitória segue em sexto lugar com 46 pontos, a três do Moreirense, que ocupa o quinto lugar.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?