NÃO HÁ PLANETA B

Isilda Gomes da Silva,

Presidente de Junta de Freguesia de Longos

Todos os dias somos confrontados com notícias e imagens que mostram o efeito da ação do homem sobre o nosso planeta que suscitam no mínimo inquietude e preocupação. Segundo o relatório da WWW (World Wild Fund) e a Foodprint Network, nos europeus já gastamos os recursos naturais que o ecossistema consegue renovar anualmente no passado dia 19 de maio de 2019. Sim, até no que diz respeito o consumo dos recursos naturais já estamos a viver a crédito. Isto é assustador e um sinal claro que a mudança de comportamento no consumo e na forma como tratamos o nosso planeta já não é uma opção. Todos os dias recebemos sinais evidentes dos estragos que estamos a provocar com o nosso comportamento irresponsável e irracional. As alterações climatéricas, as espécies que estão a desaparecer a um ritmo alarmante, os glaciares que estão a desaparecer e a provocar o aumento do nível do mar, os destinos outra hora conhecidos como paradisíacos que se encontram inundados de lixo e a praga do plástico são alguns exemplos. Todos nós somos responsáveis, todos nós temos de agir individualmente e em comunidade.

Na verdade é preciso meter pés ao caminho antes que seja tarde. Reduzir, reutilizar e reciclar são palavras chaves que na prática podem fazer diferença e ajudar na sustentabilidade do ambiente. Nesse aspeto a Câmara Municipal de Guimarães tem sido exemplar na implementação de projetos ambientais inovadores e na educação ambiental. O ambiente assume um papel central na política do Presidente da Câmara de Guimarães Dr. Domingos Bragança e cada vez mais na política das freguesias e Longos não é exceção. Recentemente recebemos o galardão da bandeira verde Eco-Freguesias XXI . Este projeto promovido pela ABAE (Associação Bandeira Azul Europeia) tem como principal objetivo dar a conhecer as boas práticas ambientais, económicas e sócio-culturais nas freguesias. Esta foi a segunda edição na qual participaram 86 freguesias a nível nacional. O concelho de Guimarães foi novamente o concelho que teve mais participações e foi o mais galardoado com 24 freguesias contempladas com o selo “eco”. Esta ano a Freguesia de Caldelas obteve o melhor resultado de todos as freguesias. Decidimos participar neste projeto porque entendemos que acaba por ser também uma ferramenta que nos ensina e nos incentiva a fazer correções e melhorias no nosso trabalho em prol do ambiente e do bem estar de todos.

A educação ambiental e a consciencialização da importância da preservação da natureza deve começar bem cedo. Esta foi uma das razões pela qual a Junta de Freguesia decidiu criar a Brigada Verde com a nossa comunidade escolar e pré-escolar. A escola é o nosso aliado para que a mudança de comportamento chegue aos adultos. As crianças levam as dicas das boas práticas ambientais para casa e assim chegam onde nos queremos. Orgulho-me de dizer que a nossa escola primária também é uma Eco-Escola. A limpeza e a preservação do ambiente fazem parte das principais tarefas da junta de Freguesia e com algumas limitações tentamos fazer o melhor possível. No nosso caso recentemente a manutenção dos caminhos florestais para a prevenção dos incêndios e a limpeza das faixas de gestão de combustível efetuada pela Vitrus foi das ações mais importantes na nossa freguesia em termos ambientais uma vez que não têm surgido incêndios de grandes dimensões desde aí.

Outro trabalho desenvolvido pela equipa de voluntários que nos acompanha foi a restauração dos tanques públicos que ainda são utilizados pelas pessoas seja para lavar ou para consumo de água. Infelizmente dos cinco tanques existentes apenas dois têm água potável. Em termos práticos temos eco-pontos distribuídos pela freguesia, pontos de recolha para roupas usadas, na sede da junta temos pontos de recolha para pilhas, lâmpadas e temos a nossa loja social com livros, roupas e brinquedos usados que são doados a quem mais precisa. Sempre que possível organizamos ações de sensibilização sobre o ambiente para os grandes e os pequenos e tentamos envolver toda comunidade para que a mensagem passe de forma eficaz. Com o apoio do Centro de Ciência Viva de Guimarães promovemos a construção de abrigos para pássaros que vão ser colocados nas árvores da escola. Acima de tudo é preciso sensibilizar as pessoas e dar o nosso contributo de forma positiva ao nosso planeta.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?