O plano do Governo para o 3.º período: ensino à distância, exames adiados e pré-escolar sem data de regresso

Costa diz que é “importante retomar” aulas presenciais no secundário e possibilidade de regressarem em maio ficou em aberto. Os exames nacionais estão adiados. As provas até ao 9.º ano foram canceladas e os alunos do ensino básico vão ter o apoio da tele-escola. Não há data para o regresso do ensino pré-escolar.

© Direitos Reservados

As atividades nos jardins de infância só vão poder reabrir quando foram revistas as atuais regras de distanciamento social para prevenir a propagação da covid-19. O anúncio foi feito hoje pelo primeiro-ministro.

Em conferência de imprensa, no final da reunião do Conselho de Ministros, António Costa referiu-se particularmente à situação da educação pré-escolar. Embora não integrando o ensino obrigatório, “é fundamental no processo de desenvolvimento de todas as crianças e que não pode ser assegurada à distância”, disse o primeiro-ministro.

“O que neste momento posso dizer aos pais e educadores é que só poderemos retomar as atividades nos jardins de infância quando forem revistas as atuais regras de distanciamento

No entender de António Costa, esta regras “são impossíveis de cumprir em sala por crianças desta faixa etária”.

António Costa considerou depois que ainda é “prematuro definir um prazo seguro, ainda que indicativo,” para uma eventual reabertura do ensino pré-escolar. .

Aulas presenciais permanecem suspensas

Na mesma conferência de imprensa, o Governo anunciou que decidiu manter a suspensão das aulas presenciais durante o terceiro período. Vai arrancar, no dia 14, mas com ensino à distância.

Os exames do 9.º ano e as provas de aferição estão cancelados. Acerca do regresso à escola, o Executivo diz “não estar em condições” para apontar para a data de recomeço das aulas presenciais.

Para apoiar o trabalho desnenvolvido pelos professores, o primeiro-ministro também garantiu que a emissão televisiva com conteúdos pedagógicos vai começar no dia 20 deste mês, na RTP Memória: “Do primeiro ao nono ano, inclusive, todo o terceiro período prosseguirá pelo ensino à distância que será agora com o apoio da emissão televisiva de conteúdos pedagógicos que complementarão, mas não substituirão o trabalho que os professores vêm desenvolvendo com os seus alunos”

No entanto, vai ser procurada uma solução para os alunos do 11.º e 12.º anos. “Havendo menos oportunidade de recuperação futura e tratando-se de anos decisivos para o acesso ao ensino superior e regresso à vida ativa, é particularmente importante que ainda possamos retomar as atividades letivas presenciais”, afirmou

Estes alunos, se voltarem à escola para aulas presenciais, só vão marcar presença nas disciplinas sujeitas a exame específico para o acesso ao ensino superior e vão ter de utilizar máscara. “Iremos assim trabalhar em dois planos. Aquele que preferimos, de poder retomar parcialmente as aulas presencias do 11º e do 12º durante o mês de maio, sem excluir, como plano B, termos de prosseguir exclusivamente o ano letivo com ensino à distância. Em qualquer caso, para assegurar o maior distanciamento social, o menor tempo de permanência na escola e a melhor higiene, as atividades letivas presenciais serão sempre muito limitadas”

O calendário de exames é adiado, com a atividade letiva a poder estender-se até ao dia 26 de junho, a 1.ª fase de exames a decorrer de 6 a 23 de julho e a 2.ª fase de 1 a 7 de setembro.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?