Plano Municipal para a Juventude de Guimarães em discussão pública

Está em discussão pública o primeiro Plano Municipal para a Juventude de Guimarães, com o intuito de consolidar uma visão estratégica para o desenvolvimento e aprofundamento de políticas públicas para a juventude a nível concelhio. Paralelamente, pretende-se estruturar um plano estratégico de intervenção para o Gabinete de Juventude do Município de Guimarães.

A elaboração deste plano envolveu cerca de 880 pessoas no processo de auscultação e várias dezenas de entidades que participaram na Comissão de Desenvolvimento do Plano e com o contributo da Bolsa de Facilitadores do Plano Municipal da Juventude. Concretizou-se um documento coletivo, amplamente participado e que continua em aberto para novas propostas, nesta fase da discussão pública.

Para a constituição deste plano foram definidas áreas estratégicas como Educação; Empregabilidade, Empreendedorismo e Emancipação Jovem; Acesso à Habitação; Cultura e Criatividade; Desenvolvimento Rural, Coesão e Inclusão Social; Mobilidade; Saúde, Desporto e Qualidade de Vida; Associativismo, Voluntariado, Participação e Cidadania; Acesso à Informação e ainda Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. “Percebendo as problemáticas dos jovens, decidiu-se dar voz aos jovens, através de políticas públicas de cooperação. A proximidade com a comunidade local foi crucial para os resultados que surgiram”, salientou Filipa Pereira, a coordenadora da Bolsa de Facilitadores.

O Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, manifestou “gratidão pelo envolvimento dos jovens neste Plano Municipal para a Juventude” e assegurou “este plano será aquele que os jovens quiserem”. Reforçou ainda a construção de um futuro para Guimarães assente no diálogo, com reflexão, e com conhecimento, atendendo à visão que os jovens têm para o futuro. “O processo de sociedades democráticas passa pela apresentação de contributos e projetos, quer sejam individuais ou com as instituições”, disse ainda o Presidente da Câmara Municipal.

A Vereadora da Juventude realçou, nesta apresentação pública, que “já há muito trabalho feito” na sequência do processo de auscultação que decorreu nos últimos dois anos. “Foi um processo de grande envolvimento de todos e que já despertou os jovens para as questões da cidadania. Não queremos que a voz aos jovens seja apenas dada no PMJ, mas sim que este seja o início de um processo e que se prolongará nas várias áreas da tutela municipal”, disse Adelina Pinto.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?