Professores de Educação Física da Escola EB 2/3 João de Meira recusam-se a dar aulas.

Em causa, está a “falta de condições de segurança” do pavilhão gimnodesportivo da escola.  Os docentes acusam a Câmara Municipal de Guimarães de deixar chegar a uma “situação limite”.

Foto: DR

Nesta segunda-feira, dia 20 de setembro, os professores de Educação Física da Escola EB 2/3 João de Meira comunicaram à comunidade escolar que não irão mais lecionar aulas práticas da disciplina, devido às “más condições do pavilhão da escola”.

No comunicado, o Grupo de Educação Física alega que o “mau estado de conservação” do telhado, em amianto, leva a que chova no interior do pavilhão. A este problema somam-se outros que levam os professores a considerarem não haver condições para lecionar aulas práticas de educação física naquele espaço. O Grupo Disciplinar de Educação Física recorda, no comunicado, que “existe a promessa (da Câmara Municipal) da construção de um novo pavilhão desportivo há onze anos”, embora “nunca houve um verdadeiro compromisso”.

Segundo os docentes, a possibilidade de as aulas serem suspensas já tinha sido apresentada à Câmara que “até ao momento, não deu resposta ao solicitado”. Os professores afirmam que manterão esta posição “até que as mesmas [condições de segurança] sejam resolvidas”.

No final do comunicado, o Grupo Disciplinar de Educação Física afirma que aquela escola é “uma escola de referência no concelho de Guimarães e pioneiros do Desporto Escolar, por isso exigimos que sejam garantidas condições mínimas de trabalho e segurança, ainda assim, iremos lutar pela construção de um novo pavilhão, por respeito à disciplina de Educação Física, aos alunos, aos docentes, que têm direito a condições de trabalho dignas e adequadas ao século XXI”.

O Mais Guimarães tentou, sem sucesso, o contacto com a direção da escola para obter declarações sobre esta matéria.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?