Rui Vieira de Castro: Polo da UMinho em Famalicão “condenado ao sucesso”

A ideia de fazer crescer a Universidade do Minho, com a instalação de um polo em Vila Nova de Famalicão, foi esta terça-feira, 27, reafirmada por Rui Vieira de Castro, reitor da academia minhota.

© Direitos Reservados

Durante a visita aos dois centros que a Uminho instalou há cerca de um ano em solo famalicense, ao laboratório de formação, investigação e conhecimento na área da biologia alimentar e ao centro de investigação na área das micro nanotecnologias, localizados no Centro de Investigação e Inovação e Ensino Superior de Famalicão, em Vale S. Cosme, Rui Vieira de Castro, em declarações à RUM – Rádio Universitária, referiu que ambiciona “construir a ideia de uma universidade multipolar” e reconhece em Vila Nova de Famalicão “um contexto extremamente favorável à Universidade do Minho”.

Rui Vieira de Castro quer “uma presença mais vincada em Famalicão, e isso passa pela instalação de unidades de investigação que possam alicerçar processos de inovação, fruto de articulações, que queremos cada vez mais fortes com as empresas. A universidade está a fazê-lo com ambição e não fica satisfeita com dois grupos e trinta pessoas. Queremos mais”, afirmou o reitor, que ambiciona “a partir deste polo, aprofundar a rede de relações com o tecido empresarial local”.

“Estão lançadas as bases fundamentais de um projeto que me parece condenado ao sucesso”. Rui Vieira de Castro, em declarações à RUM

Para Paulo Cunha, presidente da Câmara de Famalicão, a presença de investigadores traz ao território “competência e conhecimento. Se conseguirmos associar a capacidade que temos ao nível empresarial a uma forte dinâmica de investigação, estamos a criar condições para que o setor possa crescer e, com esse crescimento, vai melhorar a qualidade, o preço e os meios”, disse o autarca.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?