TAIPAS A FLORIR: ESTE PROJETO SÓ CRESCE COM TODA A COMUNIDADE

Projeto foi apresentado este sábado na sede da Junta de Freguesia de Caldelas. Intervenções em espaços públicos e educação ambiental são fortes vertentes do programa.

Taipas a Florir | Queremos a nossa Vila limpa e a florir todo o ano!

Os jardins, as árvores, os parques, o Rio Ave e o património natural são a essência da Vila de Caldas das Taipas.Para preservar estas caraterísticas, a Câmara Municipal de Guimarães, a Junta de Freguesia de Caldelas e a Brigada Verde de Caldelas impulsionaram o projeto… TAIPAS A FLORIR.Este é um projeto que envolve moradores, empresas e escolas, gente que dá muito de si, pela responsabilidade coletiva de cuidar dos nossos jardins!Queremos a nossa Vila limpa e a florir todo o ano!#taipasaflorir #caldasdastaipas #brigadaverde #ecofreguesiaxxi #viladastaipas

Posted by Junta de Freguesia de Caldelas – Caldas das Taipas on Saturday, 23 November 2019
© Junta de Freguesia de Caldelas

“Este dia é muito especial”, disse o senhor Domingos ao presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, após ser colocada a placa identificadora do projeto Taipas a Florir no jardim que tem vindo a cuidar, mesmo ao pé da Escola Secundária, na rua Professor Manuel José Pereira. Foi o primeiro espaço verde a recebê-la e não será o último: o Taipas a Florir quer envolver os habitantes da vila, as escolas, a esfera pública e a privada pela preservação do património natural que pinta a vila de verde e de todas as cores das plantas que crescem no seu solo.

O projeto, que conta ainda com o apoio da Brigada Verde das Taipas, liderada por José Fonseca, para além da CMG e da junta de freguesia, começou a ser semeado “há um ano e meio” e agora está a desabrochar, tendo sido apresentado no final da manhã deste sábado na Junta de Freguesia de Caldelas. O presidente da Junta de Freguesia de Caldelas, Luís Soares, notou que existe “dificuldade em gerir toda a área verde” da vila, pelo que a solução para manter o verde taipense vivo passa por “repartir responsabilidades”. E “a participação dos cidadãos, de forma ativa e cúmplice, só poderá trazer bons resultados”, referiu Domingos Bragança.

© Mais Guimarães

Parte das intervenções em curso, dentro do projeto, dizem respeito aos acessos de entrada e saída da vila — que, curiosamente, são cinco rotundas — e importa “causar uma boa primeira impressão”, disse Luís Soares. As primeiras já têm vindo a ser causadas através da entrada a partir de Ponte, onde um letreiro dá as boas-vindas. Com o apoio do município, “já foram plantados mais de mil pés naquela entrada”, que se organizam em “mosaicos de quatro ou cinco espécies”, explicou o arquiteto paisagista João Pessoa. A avaliação a cada um dos espaços contou com diversas variáveis — desde a questão estética à preocupação em listar as espécies mais adequadas a cada rotunda, em “dinâmicas associadas à sazonalidade”, não esquecendo que cada uma das entradas deverá ter “uma singularidade adjacente”.

Por isso, a segunda entrada referida, que diz respeito à rotunda que divide Sande São Clemente e Caldelas, sofrerá alterações para que o monumento de homenagem ao Cutileiro não passe despercebido. A terceira, e de “execução mais complexa”, é a rotunda de acesso a Braga, cuja empreitada prevê a colocação de um espelho de água na mesma. A penúltima entrada é a rotunda ao pé do recinto da feira semanal, que, pela dimensão, não sofrerá grandes alterações, mas que terá, nas imediações, um monumento de homenagem aos combatentes da guerra. Finalmente, a quinta rotunda, de acesso ao AvePark, também terá uma intervenção mínima.

© Mais Guimarães

Perante a apresentação oficial do projeto, o presidente do município congratulou a organização do Taipas a Florir, acrescentando que este pode “vir a ser um exemplo para as outras vilas e freguesias do concelho de Guimarães”.  “Deposito muita esperança no sucesso deste projeto”, disse. O projeto, para além de envolver a comunidade na preservação ambiental, aposta numa vertente educativa, já que as escolas estão envolvidas. “Se os meninos cuidarem dos jardins da sua escola, cuidarão dos jardins da vila quando crescerem”, sublinhou Luís Soares.

E a envolvência comunitária faz deste “um projeto pioneiro em Portugal”, já que não tem um fundo comercial. Assim, o presidente da Junta de Freguesia de Caldelas espera que, através do Taipas a Florir, se reforce o “sentimento de pertença” dos taipenses à sua vila.  

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?