fbpx

Venâncio e o regresso aos treinos coletivos: “Podermos fazê-lo, ao fim de todo este tempo, deixou toda a gente satisfeita”

Conquistadores já regressaram ao regime de treino coletivo. Segundo o central, duas semanas vão ser suficientes para preparar o jogo contra o Sporting CP.

© Direitos Reservados

Com o regresso dos treinos coletivos, Frederico Venâncio sente que foi reposta alguma normalidade. “Podermos fazê-lo, ao fim de todo este tempo, deixou toda a gente satisfeita”, sublinhou o central.

“Duas semanas de treinos são suficientes. As ideias da equipa são as mesmas, agora é voltar à rotina. Os jogadores não esqueceram aquilo que vinham a a fazer, vamos aproveitar estas semanas para fazer recuperar a logística e movimentações para que o regresso seja o mais natural possível”, afirmou, em mais uma das vídeoconferências promovidas pelo Vitória.

E há receios neste regresso? “Não, porque o clube e os jogadores tomaram todas as medidas de segurança”, assegurou. No entender do jogador de 27 anos, a principal preocupação prende-se com as lesões: “Tento preparar-me nos treinos para dar estímulos diferentes aos músculos e, assim, estar preparado quando chegar o primeiro jogo. Temos este tempo para nos preparamos e evitarmos essa situação. Não conseguimos que esse risco fique nos 0%, mas vamos trabalhar para que o risco seja mínimo”.

O que resta da temporada aproxima-se e o primeiro adversário neste recomeço é o Sporting. Um jogo “muito difícil”, no entender do central. Questionado acerca de um eventual melhor aproveitamento da pausa forçada por parte do adversário, que permitiu assimilar as ideias do recém-chegado Rúben Amorim, Venâncio indicou que a paragem também foi benéfica para os Conquistadores, que recuperaram jogadores lesionados.

O Vitória ainda não ganhou a nenhum clube do top-4 esta temporada. “Não temos tido a felicidade dos detalhes. Ainda temos mais três jogos contra equipas desse calibre para mudarmos os resultados a nosso favor”, afirmoi.

O jogo será disputado num D. Afonso Henriques despido, mas o central prefere olhar para a situação com algum otimismo. “Gostávamos de ter o ambiente que envolvia os jogos em casa, algo que no primeiro jogo pode ser estranho para alguns jogadores. Mas o facto de jogarmos no nosso estádio já é um ponto a favor”.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

SUBSCRIÇÃO GRÁTIS

RECEBA O JORNAL MAIS GUIMARÃES

NO SEU EMAIL

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?