El Comandante chega e basta

por José da Rocha e Costa

Segundo a última sondagem divulgada pelo “Observador”, se as eleições Presidenciais se realizassem agora, Marcelo Rebelo de Sousa seria reeleito à primeira volta com 65% dos votos, com Ana Gomes em segundo lugar, com 13%, e a completar o pódio, André Ventura, com 7% das intenções de voto.

A confirmarem-se estas previsões, André Ventura conseguirá um resultado superior ao que, por exemplo, Maria de Belém ou “Tino de Rans” conseguiram nas últimas eleições. Não deixa de ser engraçado que sendo “Tino de Rans” pedreiro de profissão, quem tem conversa de pedreiro (não querendo aqui ofender ninguém que exerce essa nobre profissão) é André Ventura. É que, palavra de honra, não consigo perceber como é que tanta gente se deixa enganar por um charlatão como o André.

Querem agora convencer-me que o Dr. André Ventura, que em 2013 apresentou uma tese doutoramento cujo tema eram “As políticas anti-terrorismo que se seguiram ao 11 de Setembro e o modo como essas políticas do “medo” transformaram os sistemas judiciais e policiais do Ocidente” e que agora passa a vida a defender políticas xenófobas, securitárias e de instigação do medo, é um xenófobo e um racista convicto?

Eu nem sei se o facto do André ser um charlatão abona a seu favor ou não. É que, por um lado, fica fácil de perceber que ele só adopta aquela postura de rufia xenófobo e racista porque sabe que é aquilo que o seu eleitorado quer ouvir dele, o que significa que lá no fundo ele pode até nem acreditar naquilo que diz, o que é manifestamente positivo.

Por outro lado, a charlatanice devia ter limites. Para quem se queixa de forasteiros que vêm roubar os empregos que não lhes pertencem, o André não tem muita moral para falar. Será que ele já se tentou pôr na posição, por exemplo, dos militantes do PNR? Andam aqui os tipos a serem racistas há anos e a bater nos pretos e nos monhés como deve ser, e chega o André todo engravatadinho e rouba-lhes o lugar. O mais triste é que as pessoas votam no André precisamente por ele ser um engravatadinho que diz aquelas coisas. Como ele tem assim aquele ar de sonso, as pessoas sempre se podem desculpar e dizer que aquilo que ele diz não deve ser interpretado de uma forma literal, e que ele não quer mesmo deportar pessoas, nem isolar os ciganos em guetos. Tudo isto é só um modo de falar.

Mas desenganem-se, não é pelo facto do André não acreditar em nada do que diz que ele se torna menos perigoso. Porque um oportunista faz o que for preciso para chegar lá acima. Se para ser eleito deputado tem que se enxovalhar a comunidade cigana, enxovalha-se a comunidade cigana. Se para ser eleito primeiro-ministro tem que se construir guetos, constroem-se guetos. É este o modus operandi do André e eu não consigo perceber que valor é que as pessoas conseguem ver neste tipo.

Em jeito de conclusão, deixo aqui uma mensagem provocatória para aquele eleitor que seja xenófobo, racista, ou apenas um bocado boçal, e que esteja a pensar em votar no André:

Entenda que o André não pensa nada daquilo que diz, nem diz nada daquilo em que pensa. Se você se identifica com o discurso do André, vote no PNR ou noutro partido do género. Sim, é verdade que os militantes do PNR têm tendência a serem presos com alguma frequência, o que pode tornar o exercício da política um bocado mais difícil, mas eles até têm aquele senhor de fatinho e tudo, e ao menos assim já se sabe no que se está a votar.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?