Gonçalo Pinto: Moreno “passa a mística de que jogar no Vitória não é fácil, é jogar num clube diferente dos outros”

O jogador do Vitória Gonçalo Pinto falou aos jornalistas após a visita à EB 2,3 de Abação. Além de abordar a estreia pela equipa A, falou do irmão, Alex Pinto, e da iniciativa com cariz solidário que teve como objetivo a entrega de material escolar e outros bens a alunos mais carenciados.

© Mais Guimarães

Gonçalo Pinto, estreou-se na equipa A do Vitória, clube que representa há cerca de 12 anos, frente ao Vilafranquense. Um momento que carateriza como “gratificante” e para o qual “trabalhava há imenso tempo”. O objetivo é agora “trabalhar ainda mais para continuar a ter presenças na equipa A”, referiu.

Confessou que, “até ao momento [de entrar em campo], não estava tão nervoso”, mas, assim que chegou a altura de ser chamado, começou “a sentir as tais borboletas na barriga”. “Acredito que foi a primeira de muitas”, disse o jovem jogador.

O seu irmão, Alex Pinto, atualmente na Eslováquia, também jogou pela equipa A do Vitória e “ver o que ele alcançou e tem alcançado” fazem dele “um ídolo e uma imagem a seguir” para Gonçalo. O médio de 19 anos acredita que o seu irmão estava mais nervoso ele próprio. “A primeira mensagem que li quando acabou o jogo foi ele a dizer que estava a transpirar por todo o lado”, confessou. E acrescentou: “é muito bom ter um irmão que é um ídolo que me apoia e que acredita em mim”.

“Qualquer jogador de futebol, desde pequeno, pensa em conquistar títulos e em chegar a patamares e alcançar voos muito altos”, vincou o atleta vitoriano. Depois desta estreia e deste sonho concretizado, Gonçalo quer “continuar a ser uma aposta forte na equipa B para depois, daqui a um ou dois anos, ser um jogador importante na equipa A”. No futuro, poderá “pensar em clubes do topo europeu”.

Há tantos anos no clube, Gonçalo Pinto não podia deixar de referir a aposta na formação. “Ver que essa aposta tem aumentado é muito bom, é algo que nos dá ainda mais crença de poder chegar ao objetivo”, explicou lembrando André Almeida “que esteve na formação tantos anos e saiu por milhões para jogar num grande clube da primeira liga espanhola”.

O facto de Moreno conhecer os jogadores da época passada “acaba por ser bom” e dar-lhes a oportunidade de representar a equipa A “é porque acredita” nas suas capacidades. “[O mister] Passa a mensagem e a mística de que jogar no Vitória não é fácil, é jogar num clube diferente dos outros. É importante essa mensagem para percebermos que jogamos num clube muito grande”, destacou Gonçalo Pinto.

Relativamente à equipa B, o jovem jogador concorda que este “não foi o começo esperado”. Porém, frisa que “não é como começa, mas como acaba”. Ainda com “muitos jogos para poder dar uma resposta”, acredita que “a equipa está a ganhar confiança e a criar ligações mais fortes”.

Depois deste contacto com adeptos na escola de Abação, Gonçalo Pinto referiu a importância de iniciativas solidárias. “Foi a primeira vez que tive assim um contacto tão próximo e tive pessoas a querer tirar fotografias, mas isso não é o mais importante. Quero que tenhamos mais estas atividades solidárias com as crianças, porque infelizmente nem todos temos as mesmas oportunidades, nem todos nascemos com as mesmas possibilidades e é muito importante poder ajudar quem mais precisa. Ver estas crianças a receber estas pequenas coisas que podemos fazer e a darem-nos abraços é uma das coisas mais gratificantes que podemos ter”, terminou.

© Mais Guimarães

©2022 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?