NUNO CACHADA

Nome completo: Nuno Miguel de Borges Sá Cachada
Nascimento:05 de Julho 1983 Guimarães, Portugal
Profissão: Diretor artístico do Festival Internacional de Guitarra de Guimarães

Antes de mais, uma declaração de interesse. O Nuno Cachada é meu amigo pessoal há mais de metade da minha vida. Por isso, este perfil não pode deixar de estar tocado por esta amizade. Só que isso não me deve impedir de escrever sobre o homem que por estes dias leva a cabo um festival que ajuda a pôr Guimarães no mapa internacional da guitarra clássica.

O Festival Internacional de Guitarra Clássica (FIGG) começou no sábado passado, 26, sempre com casa cheia. Primeiro no Paço dos Duques de Bragança para ouvir as interpretações de Pedro Rodrigues. Continuou no domingo com Hubert Kaeppel e Rui Vilhena & Ricardo Coelho e com Ricardo Barceló, ontem, na ACIG. O evento termina hoje com QuarTASTO, no Auditório da Universidade do Minho.

São nomes que Nuno Cachada trouxe a Guimarães para mostrar aquilo que considera ser o que de melhor se faz em guitarra clássica na atualidade. Apesar de hoje fechar mais uma etapa, ao realizar a segunda edição do festival, a cabeça do diretor artístico do FIGG já fervilha com ideias para o próximo ano. Essa é a principal caraterística – e quem sabe a maior consumição deste músico – a de ter o cérebro sempre a funcionar a mil, seja para a música, seja enquanto professor, seja enquanto aluno, seja nos seus tempos livres.

A organização do festival é mais uma das atividades que desenvolve: é professor de guitarra clássica no Conservatório de Música de Felgueiras e na Sociedade Musical de Guimarães / Academia de Música Valentim Moreira de Sá (o FIGG decorre sob a chancela desta entidade). Além disso, está a fazer o mestrado em Ensino da Música, na Universidade do Minho. Nas raras vezes em que está desocupado é vê-lo a manipular os cubos de Rubik e as suas variações ou a disputar uma partida de xadrez cronometrada. Parece estar sempre em competição com ele mesmo e isso, acredita, fá-lo crescer.

Quem convive com ele não fica indiferente ao seu olhar crítico sobre tudo o que o rodeia. Não consegue, por exemplo, ver o estado atual do ensino artístico e ficar calado: “A oferta formativa [do FIGG] esgotou em pouco tempo, o que demonstra que as escolas continuam a promover e a privilegiar a participação ativa dos seus alunos neste tipo de eventos. Apesar da instabilidade financeira em que a maioria delas se encontra, causada pelos constantes cortes e atrasos nos financiamentos, o ensino artístico dá mais uma prova de vida”. Mas, desenganem-se, qual jogo de espelhos, Nuno Cachada é um otimista.

Irmão do meio, é filho do jornalista Armindo Cachada e da professora Margarida Cachada, cujo nome escrevo com muita saudade. É incurável este golpe mas não esqueço a dignidade com que se sentou e, guitarra nos braços, dedilhou a última homenagem à mãe quando tinha apenas 20 anos. Hoje é casado com uma também amiga de sempre e tem duas filhas, a Margarida, cinco anos, e a Mafalda, quatro meses.

O Nuno movimenta-se no mundo artístico, que é, sabemo-lo bem, impiedoso. São mais as vezes em que prevalece a luta de egos do que o verdadeiro dom. É com isso que ele conta: com o seu dom e com trabalho, muitas horas de trabalho agarrado à guitarra que toca com amor. Por amor à música que lhe pauta a vida.

Por: Catarina Castro Abreu

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?