PSD acusa Bragança de repetir anúncio de obra em ano eleitoral

Depois da aprovação, em reunião de câmara, nesta segunda-feira, 22, do lançamento do concurso público para a Reabilitação dos Fornos da Cruz de Pedra, em Creixomil, o PSD, em comunicado à imprensa, congratula-se por aquilo que classifica como reação da Câmara à intervenção do vereador Ricardo Araújo sobre o assunto.

Na reunião do executivo camarário, de 3 de dezembro de 2020, o vereador social-democrata, Ricardo Araújo, levantou a questão da reabilitação dos Fornos da Cruz de Pedra porque “passados quatro anos sobre o anúncio, por Domingos Bragança, numa conferência de imprensa no local, afirmando que a obra arrancaria pouco depois, nada aconteceu”.

Nessa intervenção o vereador Ricardo Araújo lembrou que a os “vários anúncios, desde 2014, ainda no tempo em que José Bastos era vereador da Cultura em Guimarães”.

Na nota que o PSD agora envia à imprensa, os sociais-democratas lembram que este assunto remonta a um período ainda anterior. “O PSD já vem a alertar para a degradação deste património pelo menos desde 2008, na
altura, pela voz do vereador José Manuel Antunes. Em 2010, Domingos Bragança, em resposta ao PSD, afirmava que aquele património não estava esquecido e prometia requalificar os fornos dos oleiros existentes na Cruz de Pedra”.

O PSD Guimarães sublinha que, em 2017 – ano eleitoral -, o projeto foi apresentado ” com alguma pompa e circunstância”. Recordam os sociais-democratas que Domingos Bragança promoveu uma conferência de imprensa no local e afirmou nessa altura “, que o projeto seria para realizar no ano seguinte”.

“Passado todo o mandato, às portas e outro ato eleitoral, aqui estamos com o presidente da Câmara a anunciar, mais uma vez para breve, a mesma obra”, crítica Ricardo Araújo”, acusa o PSD Guimarães.

Para o PSD, Bragança, em ano eleitoral, “prometeu para breve aquilo que só
colocou em marcha anos depois”. Os sociais-democratas apontam para o facto de, em 2017, quando Domingos Bragança afirmou que a obra arrancaria no ano seguinte, “o projeto de arquitectura não estava sequer adjudicado. O contrato para este projeto só viria a ser firmado, com a Sofia Castro & Filipe Silva, Arquitectos Associados, Lda, em 28 de agosto de 2019”.

Este projeto viria ainda a ser alvo de revisão, num contrato adjudicado à Pitagoras Arquitectura e Engenharias Integradas, Lda, em 7 de setembro de 2020, esclarece o PSD Guimarães.

A obra de reabilitação do fornos da Cruz de Pedra tem um custo estimado de 598.854,81 euros e deverá, de acordo com o estipulado no concurso público, arrancar num prazo de oito meses.

“Isto, porém, ainda não é uma obra, é mais um anúncio. Esperemos
que desta vez a obra realmente avance”, adverte o vereador do PSD, Ricardo Araújo.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?