REDUÇÃO TARIFÁRIA DOS TRANSPORTES PÚBLICOS SERÁ TEMA NA PRÓXIMA REUNIÃO CAMARÁRIA

A partir de 01 de abril, com a implementação do Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART), os preços dos passes sociais vão ser reduzidos em todo o país. O Governo atribuiu 104 milhões do Orçamento de Estado para apoiar esta medida, contando ainda com 12 milhões que as autarquias vão ter de desembolsar dos seus cofres, que resulta num total de 116 milhões de euros.

De acordo com declarações do Ministro do Ambiente, José Pedro Matos Fernandes, Guimarães é uma das cidades em que os passes vão reduzir entre “40 a 50%”. Questionado sobre os detalhes desta redução na cidade-berço, Domingos Bragança não desvendou muito, acrescentando apenas que esta medida será discutida e votada na próxima reunião do Executivo. Ainda assim, garantiu que o PART é para ser implementado de imediato. “Essa redução vai à próxima reunião, para ser implementada desde já. Temos essa atribuição feita a Guimarães, como todo país e temos que a pôr em prática para não perdermos a atribuição que nos foi dada. Precisávamos de mais, mas é esta que temos e vamos pôr-la em prática. Vai incidir essencialmente nos passes para jovens até aos 18 anos, muito dirigido aos estudantes”, apontou o Presidente da Câmara.

Relativamente à disparidade de preços entre as Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto com as restantes Comunidades Intermunicipais, o autarca vimaranense mencionou que era o valor do investimento deveria ser maior. “Compreendo que são realidades desiguais. As AM’s do Porto e de Lisboa são intermodais, de grande tráfego de pessoas. Mesmo assim, acho que as nossas áreas ficaram desiguais quanto ao valor atribuído. Significa que precisamos no futuro de maior valor atribuído”, disse.

Domingos Bragança garantiu ainda que Guimarães está a preparar-se para uma grande mudança a nível de rede de transportes públicos, devido ao estudo apresentado para o concelho, na última reunião de Câmara. O edil prevê que, em quatro anos, com esta redução dos tarifários e com o novo plano, o Município deverá investir cerca de 20 milhões de euros. No entanto, frisou que “vale a pena”. “Tem também implicações. Além de ajudar no quotidiano da mobilidade das pessoas no concelho, e também interconcelhio, tem haver ainda com as questões ambientais. Passa por aqui também a possibilidade da redução da utilização do carro particular, atendendo também à utilização do autocarro, e sendo este elétrico, as emissões de CO2 no concelho de Guimarães reduzem drasticamente”, concluiu.

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?