MANUEL CASTRO

Nome completo
Manuel Joaquim da Silva Castro

Nascimento
25 de março de 1969, Guimarães

Profissão
Eletricista

Nesta quadra natalícia, as ruas de Guimarães estão todas iluminadas, há música a tocar e a própria cidade-berço está mais movimentada. Se andou pelo centro histórico nestes últimos dias, com certeza reparou numa figura adorada por todos: o Pai Natal. Este Pai Natal é vimaranense e não pertence a nenhuma entidade ou empresa. Andar pelas ruas vestido de fato vermelho como o velho de barbas brancas é o que o deixa feliz. Conheça a história de Manuel Castro, que começou a aventura em 2014 e promete novidades para o próximo ano.

Em Guimarães, a casa do Pai Natal fica em Brito, e não na Lapónia, e o seu meio de transporte é uma bicicleta e não um trenó. Embora diferente, Guimarães tem um Pai Natal que distribui rebuçados e alegria por onde passa.

Manuel Castro, que está perto de celebrar meio século, sempre foi muito ligado a esta época festiva. “Eu vestia-me de Pai Natal para as minhas filhas, quando elas eram pequeninas. Fazia umas brincadeiras, umas palhaçadas e a família toda ria-se. Depois, as filhas foram crescendo e deixei de fazer de Pai Natal”, contou Manuel Castro.

“Logo no primeiro dia em que fiz de Pai Natal, fiquei encantado”

Mas foi nessa altura que percebeu que tinha aquela personagem dentro de si, apenas não sabia onde poderia encarná-la. “Em 2014, ao falar com uma amiga minha disse-lhe queria fazer de Pai Natal e voltar à infância. Ela achou que era uma ideia gira, porque em Guimarães não havia. Fui comprar um fato, muito barato, e a verdade seja dita, não valia nada. Não tem nada a ver para o que tenho agora. Logo no primeiro dia em que fiz de Pai Natal, fiquei encantado. Vi crianças, jovens, adultos e idosos a gostarem do que estava a fazer”, recordou. Neste seu primeiro dia, já com a sua bicicleta, relembrou que a mesma não estava decorada com iluminação. Foi então que decidiu compô-la com uma campainha, que pediu à sua irmã. “Coloquei a campainha na bicicleta e foi impressionante”, apontou o Pai Natal vimaranense.

“Até já recebi prendas das crianças”

Ao longo destes quatro anos, Manuel Castro deu outro espírito natalício à cidade-berço, tendo ainda estado uma vez em Braga e outra vez na Póvoa de Varzim. Manuel Castro veste-se de Pai Natal a troco da alegria que vê nos rostos de quem passa pelas ruas de Guimarães. O eletricista de Brito não está associado a nenhuma entidade, como muitos podem pensar. No entanto, tenta arranjar patrocínios, em que pede apenas uma coisa: rebuçados. Ainda assim, não é uma luta fácil, e muitos dos rebuçados que distribui pelos mais novos saem do “seu próprio bolso”. Começou com a ajuda de alguns amigos, e hoje já conta com alguns patrocínios. Mas Manuel Castro diz que mal veste o fato, esquece todos estes problemas. “Fico alegre, fico mais bem disposto. Até já recebi prendas das crianças, que dizem que não devo ser o único a dar prendas. Aliás, houve duas crianças que me deram a sua chupeta, como forma de a deixarem de usar”, recordou Manuel Castro.

O Natal de 2018 em Guimarães está bem mais animado, em comparação aos anos anteriores, apesar do clima. Manuel Castro apontou que este ano nota-se até mais algum movimento, com a implementação do Mercado de Natal. O Pai Natal vimaranense revelou ainda que nesta altura, como trabalha por conta própria, dedica-se inteiramente a esta personagem. Manuel Castro garantiu que vestir o fato vermelho e colocar as barbas brancas e passear pelas ruas no Natal é o que quer fazer nos próximos anos.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2020 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?