Marta Mestre

Nome completo:
Marta Mestre

Ano de nascimento:
1980

Naturalidade:
Beja

Profissão:
Curadora, editora, crítica de arte

Formada em História da Arte e em Cultura e Comunicação, pela Universidade Nova de Lisboa e pela Université d´Avignon, com a pesquisa de mestrado a incidir sobre mediação e arte contemporânea. Marta Mestre é a diretora artística do maior investimento que saiu da Capital Europeia da Cultura 2012, o Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), desde setembro deste ano.

Marta Mestre tem uma carreira de curadoria construída entre Portugal e o Brasil – trabalhou no Instituto Inhotim (2016-17), em Brumadinho (Minas Gerais), e no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (2010-15). Mais recentemente estabeleceu-se em Lisboa, onde continuou a sua actividade como curadora independente. Prosseguiu um trabalho em que explora ligações entre artistas dos dois lados do Atlântico, como pudemos ver recentemente na Galeria Zé dos Bois (ZDB), com a exposição Alto Nível Baixo – Cinema de invenção, Brasil (1968-78) e Desenhos de Guerra de Manoel Barbosa, Angola (1973-75). No seu currículo afirma que a sua pesquisa se centra em “contra-narrativas da arte contemporânea que privilegiam materiais visuais e artistas menos conhecidos ou raramente expostos”.

Em Portugal é colaboradora da editora “Imago”, do portal “Buala” e foi curadora do Centro de Artes de Sines (2005-2008). Tem realizado, individual ou coletivamente, vários projectos, maioritariamente em instituições públicas, e com ênfase na pesquisa de “contra-narrativas” e arquivos de artistas. Entre outras recebeu os prémios: “Laboratório Curatorial/SPArte, São Paulo 2012” e “Travel Grant Awards/ CIMAM 2014”.

Em entrevista ao jornal Público, a curadora explicou que o perfil pretendido para o CIAJG, destacava a experiência de trabalho com colecções de arte profissional, num museu ou instituição de arte contemporânea nacional e internacional, bem como um conhecimento estruturado da realidade artística do território de Guimarães, portuguesa e global. “Interessa-me muito a natureza híbrida e polifónica do CIAJG, que é um misto de museu experimental, de centro de arte e pensamento contemporâneos, e de acervo pessoal e obra do artista José de Guimarães.”

Marta Mestre foi curadora do maior centro de arte ao livre da América Latina

Quando assumiu o cargo de curadora de arte do Instituto Inhotim, em Minas Gerais, Brasil, considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina, em 2016, Marta Mestre tinha apenas 35 anos. Em 2015, o Inhotim tinha recebido mais de 350 mil visitantes, 45 mil dos quais de outros países. Na altura, Marta Mestre disse a Lusa que seria impossível assumir um cargo desta natureza em Portugal com apenas 35 anos, por haver “uma maior institucionalização”, considerando que os “quadros técnicos têm menos mobilidade”.

Brumadinho é um município brasileiro no estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O município tem uma população inferior a 40 mil habitantes. O Instituto Inhotim, inaugurado em 2006, mudou face deste território, oferece 700 postos de trabalho (segundo maior empregador do município) e fez com que a cidade entrasse nas rotas do turismo cultural.

Programar o CIAJG, tantas vezes apontado como o elefante branco da Capital Europeia da Cultura, de forma a dar-lhe outra notoriedade, é o grande desafio para Marta Mestre.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?