A CONSERVAÇÃO DO PÃO

por Mário Moreira

O pão é um importante e imprescindível alimento e como qualquer outro  deve ser conservado em ótimas condições…é impossível evitar que endureça, porém, podemos fazer com que não aconteça tão rápido.

3ª parte – a conservação do pão

O pão de centeio e de mistura conservam-se frescos durante mais tempo. O pão de trigo deve ser comprado em pequenas quantidades.

O pão tem de “respirar”. Não deve ser guardado em caixas herméticas. Para evitar que ganhe bolor, devemos sacudir os resíduos do pão anterior e manter os seus abrigos bem limpos.

Não guardar o pão no frigorífico. As temperaturas baixas vão tornar que fique duro e seco. Pode ser conservado, fresco do dia, no congelador durante algumas semanas. Para o consumir, descongelar à temperatura ambiente.

Comprar pão fresco todos os dias em vez de quantidades de sobra. O pão fresco, apresenta uma côdea estaladiça e dourada. Se a  côdea não apresentar estas caracteristicas, é sinal que o pão não é do dia.

Estima-se que, anualmente, em Portugal se desperdicem 1 milhão de toneladas de alimentos e 1/3 do pão que se compra todos os dias.

O pão quando se encontra duro pode ser transformado em diversas e maravilhosas utilidades;

  • Levar ao forno a tostar ligeiramente e depois triturar para pão ralado;
  • Pode ser finamente fatiado, para torradas, tostado e barrado com azeite e alho, servir com doce ou compota, patés, canapés…;
  • Efetuar palitos, temperar com ervas a gosto e fritar em azeite;
  • Confecionar uma deliciosa “Açorda de bacalhau e coentros”;
  • Efetuar pequenos cubos e levar ao forno a tostar sem queimar e guarnecer saladas ou sopas;
  • Confecionar um magnífico “Pudim de pão”
  • Fazer rabanadas…fora da tradição é que são…;
  • Sopas de “cavalo cansado”;
  • A gulosa “Sopa dourada do Convento de Santa Clara)…

São infindáveis as receitas que se podem fazer com pão duro. Nem pensar que aproveitar pão é “coisa de pobre” ou “mão de vaca”.  Aproveitar as sobras, combatemos o desperdício, estamos a economizar ou preparar diferentes e deliciosas receitas de alimentos soberbos e bem gostosos.

“Migas à Alentejana com entrecosto e coentros”

De véspera, cortar o entrecosto, o toucinho e os rojões em cubos, temperar com alho picado, sal e massa de pimentão. No dia, fritar em azeite. Juntar ½  copo de água para não queimar. Retirar a carne e coar o molho. Nesta gordura a que os alentejanos chamam de “pingo”, adicionar o pão, em bocados, os coentros picados, deixar ferver, mexendo até que a massa se desfaça e obtenha uma crosta fina e dourada. Retificar de sal e pimenta. As migas estão prontas a servir com as carnes.

Bom apetite.

Um abraço gastronómico.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?