CREPES DE FRUTOS SILVESTRES AROMATIZADOS COM LICOR DE LARANJA

por Mário Moreira

Símbolo de prosperidade, delícia incontornável

Existem várias versões quanto á sua origem, mas sabe-se que fazem parte da alimentação de vários povos há mais de 10 mil anos. Os Romanos institucionalizaram o hábito de comer crepes, nas suas festas pagãs,  dedicadas; à luz, à purificação, à fecundidade e à prosperidade. Por ser redondo como o Sol que faz amuderecer as colheitas, o crepe passou a ser imprescíndivel nestas celebrações. No século V o Papa Gelásio I cristianizou festas pagãs e esta celebração passou a ter uma data fixa, o dia 2 de Fevereiro, 40 dias após o natal. Para que os católicos passasssem a assumir esta festa como sua, o papa começou a mandar distribuir aos peregrinos de Roma uma espécie de bolos redondos, lisos e espalmados, feitos com farinha de trigo e fermento, que representavam o sol e a aproximação do bom tempo que aí vinha com a primavera. As gentes da altura passaram então a acreditar que se confecionassem crepes durante este período, não haveria calor suficiente e as suas colheitas seriam más. ”Com papas e bolos se enganam os tolos”…

Na realidade foram os Franceses que fizeram do crepe aquilo que ele hoje representa. O crepe “Suzette perfumado com licor Grand Marnier” o mais conhecido em todo o mundo, uma referência incontornável na gastronomia Francesa, foi criado por um cozinheiro francês. Na páscoa o consumo de gordura era reduzido. Como não havia frigorificos, quando chegava a terça-feira gorda, as pessoas aproveitavam para se desfazer dos ovos e da manteiga que tinham em excesso e confecionavam crepes. Hoje, a cratividade e imaginação de sabores e de cores leva-nos a uma inesgotável disponibilidade para a sua confeção. O segredo de um bom crepe depende de uma fritura perfeita e respeitar algumas condições básicas, designadamente; frigideira de fritar crepes; não a aqueço demasiado; pincelo sempre a cada crepe que faço e limpo com pano seco; mexo sempre a massa com a concha antes de retirar de modo a impedir que a farinha assente. Depois de preparados podem ser utilizados de mil e uma maneiras. Para que fiquem perfeitos, trabalho os ingredientes à temperatura ambiente.

CREPES DE FRUTOS SILVESTRES AROMATIZADOS COM LICOR DE LARANJA

 

Massa-base para crepes doces”- 140gr de farinha, 50gr de açúcar, 2 dl de leite, 3 ovos e 2 gemas, 50gr de manteiga e raspa de ½ limão. Misturo os ovos a farinha e o açucar. Aqueço o leite com a manteiga e depois adiciono ao creme e envolvo tudo muito bem. Aqueço a frigideira com um pouco de manteiga e vou adicionando o creme com a concha e frito de ambos os lados. Recheio os crepes a gosto e aromatizo com licor de Laranja. Bom trabalho.

Bom apetite. Um abraço gastronómico!

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?