Entrudo ou Carnaval?

por Mário Moreira

Natural que nem toda a gente esteja habilitada a responder a tal definição. Considero que ambas estão certas, mas há como distinguir? Entrudo vem de introito à Quaresma, visto que na terça-feira de Entrudo, precede a quarta-feira de cinzas, que é o primeiro dia da Quaresma. Duas quadras que se opõem. Na Quaresma, predomina a abstinência da carne, dos folguedos e folias, respeita-se a tradição…

Em oposição, na quadra entrudesca, o povo, desejando compensar-se de tais abstinências, comia, gozava e abusava pela tentação da carne…

Lembro na minha região de infância, além dos folguedos, havia outros costumes; as “velhadas” e os “pulhas”.

“As velhadas” consistiam numa ronda de noite por jovens rapazes e raparigas vestidos de cara tapada em visita a outros serões com o propósito de fazer palhaçada e alguns distúrbios.

“Os pulhas” eram grupos de rapazes que iam de noite a casa das raparigas, recitar cantigas tão brejeiras, que muitas vezes inquietavam familiares e vizinhos, por exemplo; “Ó ti Antonho da Nina, Olhe que eu topei um moço, A fazer cócigas à sua filha, Entre a barriga e o pescoço, Não é verdade, Rapazes?”

Estes grupos sedentos de folia e atrevimento, atiravam bombas, assustavam as pessoas, acendiam bichas de rabiar para os pés das raparigas, percorriam as ruas com trajes enfarinhados e divertidos…Entrudices que o tempo levou.

Um dos pratos que se confecionavam eram as feijoadas.

“Feijoada mista com verdes”

Numa panela ao lume, com água, 1 cravinho, cozer ½ kg de cabeça de porco com orelha, 500gr de entremeada com costela, 2 chispes, 1 chouriço de sangue, 1 chouriço de carne, 300gr de nispo de vaca. As carnes de porco devem ser chamuscadas com álcool, raspadas com uma faca e salgadas alguns dias antes. Lavar bem antes de começar a cozer. As carnes retiram-se à medida que estiverem cozidas e desossam-se. Aproveita-se uma parte da água coada, leva-se de novo ao lume a ferver, para cozer, ½ kg de feijão demolhado. Na parte final da sua cozedura, juntar 3 cenouras, ½ couve penca, cortada ao comprido e ao meio. Efetuar um puxado com; 5 colheres de azeite, 2 cebolas, 4 dentes de alho, tudo bem picadinhos, até ficarem translúcidos. Verter 1 copo de vinho branco, deixar reduzir. Juntar 1 folha de louro, 2 tomates médios maduros em cubinhos, deixar que se desfaçam. Juntar todos os ingredientes, deixar ferver. Verter água das cozeduras sempre que necessário. A feijoada deve ficar consistente e com caldo grosso. Retificar os temperos. À água sobrante pode fazer-se um arroz no forno com olhos de couve, para acompanhamento. A água também pode dar para uma bela sopa. Se houver sobras da feijoada, pode fazer outros pratos tradicionais.

Bom apetite!

Um abraço gastronómico.

©2021 MAIS GUIMARÃES - Super8

Publicidade

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?