FESTIVAL DA LAMPREIA

por Mário Moreira

Se há manjares que se encontram próximos da perfeição, a lampreia é um deles, seja ela preparada no Minho, Mondego, Nabão ou no Tejo, como recomendam os costumes e ordena a gastronomia de cada região, com maior ou menor relevo de norte a sul de Portugal.

A lampreia, peixe de água doce, é elevada a prato principal nos meses de Fevereiro a Abril, move milhares de apreciadores por todo o lado na disputa do melhor prato, animando a economia local e onde se multiplicam eventos em sua prol.

Esta espécie de enorme apreço desde tempo remotos – com mais de 300 anos milhões de anos, após percorrer milhares de km pelo mar, volta às àguas doces dos rios para se entregar ao processo de reprodução. Em Portugal, habitam seis espécies e entre estas, a lampreia-marinha é considerada um verdadeiro pitéu que leva muitos apraciadores em romarias gastronómicas.

Hoje, apesar de ainda não haver falta, as populações de lampreia, encontram-se em risco de vido à pesca excessiva, destruição dos locais de desova, ao condicionamento dos caudais de água e ao crescimento da captura ilegal.

Confesso que já teve tempos de maior procura. Tempos em que os portugueses tinham maior conforto económico. Todavia, nem com a “crise”, o paladar dos seus mais fieis seguidores não amoleceu, se bem que os preços deste ano não sejam tão apelativos e convidativos, como em anos anteriores.

Visitar nesta altura o Património Mundial, na cidade de Tomar, onde o rio Nabão é quem mais ordena, ou embarcar numa bela viagem pela cultura, pela tradição e pela deliciosa gastronomia e doçaria de Montemor-o-Velho, num cenário medieval, com o seu altaneiro castelo e muralhas que espreitam as águas carolinas do Mondego e sentir o crocante dos maravilhosos pastéis de Tentúgal, são uma excelente opção, para degustar uma das mais saborosas lampreias de Portugal.

    O ARROZ DE LAMPREIA.

Deve escaldar-se a lampreia, para lhe retirar a substância viscosa. Num golpe perto da cauda retira-se o cordão vertebral. Cortar em pedaços em vinha-d´alhos: sangue, vinho tinto, alhos esmagados, vinagre, salsa, louro, sal, pimenta e cravinho. Num tacho com cebola picada e azeite, deixar puxar e juntar a lampreia com o molho coado da marinada e deixar ferver. Retirar a lampreia. Adicionar 400gr de arroz. Quando começar a abrir adicionar de novo a lampreia e restante marinada. Retificar os temperos. O arroz deve servir-se bem malandrinho. Polvilhar com salsa picada.

Bom apetite! Um abraço gastronómico.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2018 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?