VINHO, BEBIDA DOS DEUSES

por Mário Moreira

Vinho, bebida dos deuses

Com sabor a muita fruta, faz-nos parar para pensar antes de o atravessar devagar na boca, de forma envolvente, para notar a presença dos taninos, das frutas e das especiarias, num casamento perfeito.

As uvas brancas ou tintas estão umbilicalmente ligadas aos povos banhados pelo Mediterrâneo e têm um papel de destaque, não menos importante, na célebre “dieta mediterrânica,” associada aos científicos benefícios para a saúde. Desde os primórdios do neolítico aos nossos dias que este fruto se tem desenvolvido e apurando inúmeras castas e variedades, umas mais adequadas à produção, outras para consumo direto, designadas por “uvas de mesa”.

As uvas têm uma forte presença na nossa alimentação, os seus derivados têm um papel de relevo e o vinho um papel preponderante, resultante de um processo de fermentação do sumo das bagas que transforma os hidratos de carbono em álcool. Na atualidade é vulgar encontrar à venda sumo de uva ou sumo de uva combinado com outras frutas. As uvas mais doces depois de desidratadas resultam num fruto seco, muito usado na gastronomia; corintos, passas, sultanas…cuja presença é obrigatória para celebrar a passagem de ano enquanto se formulam os desejos ao ritmo do badalo.

As uvas e o vinho fazem parte de tradições seculares e constítuem uma invulgar importância na economia nacional sendo um dos nossos principais pilares de referências enquanto povo e como nação.

Beber um copo de maduro tinho às refeições, faz bem e faz parte do elenco de ingredientes da “Dieta Mediterrânica”, contém sais minerais e proteínas, facilita a digestão, estimula os movimentos do estômago e tem propriedades anticancerigenas.

Os dias esfusiantes de adrenalina, cheios de calor, luz e labor, dão lugar a uma época nostálgica, mas carregada de magia, com cheiro a terra húmida, o cheiro dos magustos, a inconfundível beleza dos tons dourados e avermelhados, enquanto brotam mais essa dádiva da natureza, os cogumelos, que maravilha!

Pêra borrachona em vinho tinho e Porto ruby

Levar ao lume num tacho com 10 dl de vinho tinto do Douro, de boa quealidade, 1 cravinho, 2 paus de canela, casca de uma laranja e 200gr de açúcar. Quando o açúcar estiver dissolvido no vinho, adicionar 8 pêras descascadas com o pedúnculo, tapar, deixar cozer em lume brando aproximadamente 45 minutos. Retirar as peras, adiconar um cálice de vinho do porto e deixar ferver até ficar bem consistente. Retirar os aromas. Se tiver uvas à mão corte-as ao meio, pele-as, retire a grainha e adicione à calda de vinho. Servir com o xarope em cima das pêras.

Bom apetite. Um abraço gastronómico.

Foto: DR

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

©2019 MAIS GUIMARÃES - Super8

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?